MENU

LOGIN

Click2Portugal vai juntar todos os hotéis portugueses num site

AHP cria primeira plataforma comum para a hotelaria. Site nasce até março e remete reservas para os websites de cada unidade

A internet inclinou o tabuleiro onde os hoteleiros sempre jogaram. Agora, as reservas online são cada vez mais importantes e vence a guerra quem chegar primeiro ao cliente - seja em Portugal ou no estrangeiro. É para equilibrar o plano de jogo que a Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) está a afinar os detalhes que, até março, colocarão online a plataforma Click2Portugal, a primeira página a juntar todos os hotéis portugueses num só espaço.

"Trata-se de uma ferramenta agregadora da oferta hoteleira em Portugal", avançou ao DN/Dinheiro Vivo Cristina Siza Vieira, presidente executiva da AHP.

O novo site - www.click2portugal.com - não pode ser comparável a um Booking português, já que em si mesmo não permitirá realizar reservas. Será, antes, uma primeira montra, um índice das várias unidades presentes no país, com uma vantagem: cada hotel ou grupo apresentado terá encaminhamento direto para as páginas dos próprios hotéis. "Sozinhos muitos hotéis não têm capacidade para se afirmar", lembra Cristina Siza Vieira.

Esta será a última fase de um processo que já se prolonga há mais de um ano. Nos últimos meses, a AHP notou que uma grande percentagem de hotéis portugueses não tinham um website ou que, tendo um, não era funcional. Por exemplo, apresentavam páginas estáticas; sem fotografias ou informações detalhadas; sem sistema de marcação ou redigidos apenas em português. A falha na digitalização era mais elevada na região Centro do país.

"A nossa plataforma é ligada aos sites dos hotéis. É agregadora, não é de venda, por isso é que a capacitação dos hotéis para o digital era tão fundamental. Um site que não seja funcional não pode ser agregado", assume Cristina Siza Vieira, detalhando que parte da estratégia que culmina no novo site passou pela apresentação de comparadores de preços, ferramentas de marketing digital. No fundo, "dar a cana de pesca" para uma atualização das páginas web de cada hotel.

Com o novo site a ser ultimado, a AHP não arrisca, para já, o número de hotéis que se vão juntar, mas admite que "o site estará pronto até final do primeiro trimestre" e está aberto a quem se quiser juntar. Numa segunda fase, a associação hoteleira quer ir mais longe mas, para já, aguarda a luz verde do Turismo de Portugal.

De que se trata? O site oficial Visit Portugal - que apresenta o país aos turistas -, que já foi visitado por 14 milhões de pessoas. Neste momento, não é transacionável, fator que a AHP gostaria de ver alterado. "O que defendo é que a plataforma do Visit Portugal, que neste momento é de visit apenas, passe a ser transacionável. Quem visita um site e não concretiza venda não volta lá. Isso é a nossa experiência do dia-a dia. Mas, se se quer comprar, as plataformas têm de ser transacionáveis", advertiu Siza Vieira.

Recentemente, a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, partilhou uma posição semelhante. "Na promoção digital acho que podemos ganhar escala ao fazer o link direto entre a capacidade que estamos tendo em termos de promoção digital e a comercialização dos territórios e da oferta privada."

O desafio é que o Visit Portugal tenha logo este link para conseguir que as pessoas comprem logo a oferta, comprem logo o território com produtos já disponíveis para o consumidor, ou seja, que não seja só uma plataforma de informação, mas que nos permita vender e concretizar logo junto do mercado que estamos a conseguir atingir através da promoção digital", adiantou a responsável, destacando ainda que "é neste cruzamento que temos de dar um passo muito significativo".

Em resposta ao DN/Dinheiro Vivo, o Turismo de Portugal revela que "está a analisar essa possibilidade do ponto de vista jurídico, esperando poder vir a tomar uma decisão muito em breve". Cristina Siza Vieira lembra que "a plataforma avança independentemente do Visit Portugal", podendo a ligação ser feita posteriormente.

A janela de potenciais clientes para os hotéis nacionais alarga-se, depois de mais um ano de recordes. No ano passado, Portugal recebeu 22 milhões de turistas, um número que o gabinete de estatísticas nacional deverá confirmar já no próximo mês.

Voltar