MENU

LOGIN

Portugal (também) é o melhor do mundo a ensinar turismo

A Organização Mundial de Turismo distinguiu a inovação do projeto educativo nacional

Portugal já era o “Melhor Destino Turístico do Mundo”, segundo os World Travel Awards, e o modelo de ensino que segue para qualificar os profissionais do sector está também agora entre os melhores do mundo. A Organização Mundial de Turismo, agência das Nações Unidas responsável pela sustentabilidade do sector, reconheceu esta semana o projeto formativo das escolas do Turismo de Portugal — o Tourism Training Talent — como o melhor na categoria de Inovação e Políticas Públicas, destacando-o pelo seu exemplo de capacitação das futuras gerações de recursos humanos do sector. Ao Expresso, o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, confirmou que “países como a Colômbia, Roménia, Marrocos, Croácia e Cazaquistão já demonstraram interesse em replicar o modelo educativo nacional”.

Até outubro de 2017, Portugal recebeu 18.223 milhões de hóspedes, mais 8,6% do que em período homólogo, e foram criados mais de 58 mil empregos no sector. É inquestionável que o turismo nacional vive um dos seus melhores momentos de sempre, mas também enfrenta alguns dos seus maiores desafios. A dinâmica que regista eleva a pressão sobre os recursos humanos, na perspetiva da sua quantidade mas também da sua qualificação. Luís Araújo não nega que algumas funções e regiões do país lidam já com dificuldades de contratação de profissionais qualificados, mas não quantifica o défice de pessoal. Ao invés, prefere centrar as prioridades na formação e qualificação, sem esquecer que “valorizar as carreiras do turismo é a melhor forma de atrair mais profissionais para o sector”, afirma.

A aposta nas pessoas é uma das prioridades da estratégia turística nacional até 2027 (ET27). O objetivo do Turismo de Portugal é duplicar o nível de habilitações do ensino secundário e pós-secundário no turismo, de 30% para 60%. Para isso, colocou no terreno, no último ano letivo, o novo programa denominado Tourism Training Talent que agora foi reconhecido internacionalmente. O modelo educativo centra a sua intervenção em quatro pilares fundamentais e vários eixos de atuação: o talento das pessoas, o desenvolvimento de competências, a inovação e a internacionalização dos profissionais do turismo, como base do sucesso do sector em Portugal (ver caixa).

Currículos renovados

“O grande desafio que a expansão nacional do turismo nos coloca, na perspetiva dos recursos humanos, é não só elevar a qualificação dos profissionais de norte a sul do país, mas também promover a valorização das carreiras neste que é um sector vital para a economia nacional”, explica Luís Araújo. As 12 escolas do Turismo de Portugal formam mais de três mil alunos a cada ano, preparando-os para o primeiro emprego e, simultaneamente, qualificam cerca de 3800 profissionais do sector, com o objetivo de prestigiar as profissões turísticas. “Estas escolas têm um índice de empregabilidade de 88%”, realça.

Para promover a qualificação e valorização das carreiras no sector, o Turismo de Portugal realizou um extenso trabalho de revisão dos currículos de todos os cursos de especialização tecnológica. “Foram incorporados disciplinas e métodos inovadores de aprendizagem em artes performativas, no digital, em gestão e comunicação, adequadas aos novos perfis de turistas, às novas tendências e como resposta direta à evolução do mercado”, explica Luís Araújo.

Em paralelo, o Turismo de Portugal reforçou o ensino bilingue, os programas de estágio e intercâmbio internacional, a captação de alunos estrangeiros, a promoção do espírito empreendedor no sector e o incentivo à criação de novos negócios, através, por exemplo, do acelerador de empresas Tourism Creative Factory, e a ligação das escolas à comunidade, pela via dos Open Kitchen Labs. “O Turismo de Portugal está fortemente empenhado na formação de bons profissionais, abertos à inovação, às transformações do negócio, versáteis, empreendedores e com capacidade para acompanhar as novas tendências”, reforça Luís Araújo, acrescentando que é nestas âncoras que está sustentado um projeto educativo que já está a ganhar adeptos em vários países.

in Expresso

Foto: OMT

Voltar